sexta-feira, 9 de junho de 2017

A Vida de George F. Kennan

O historiador John Lewis Gaddis é uma das maiores autoridade em Guerra Fria dos Estados Unidos. Para compreender o tema, aprofundou-se no pensamento de um dos primeiros diplomatas a se interessar a fundo pela União Soviética e a recomendar que os EUA tivessem uma postura vigilante em relação ao país: George F. Kennan. Além de ser um dos estrategistas que mais influenciou a política externa americana após a Segunda Guerra Mundial, George F. Kennan viveu uma longa vida que atravessa o século XX. Sua trajetória é narrada em detalhes ao longo de quase 800 páginas. Formado em Princeton aos 22 anos, tornou-se vice-cônsul da embaixada norte-americana em Genebra, na Suíça. Durante a década de 1930, Kennan foi transferido para Moscou e se interessou pela história e pelo crescente poder político da União Soviética. No entanto, com o início da Segunda Guerra, a prioridade passou a ser o combate ao nazismo — e os soviéticos tiveram papel fundamental na vitória contra Hitler.

Com o fim da guerra, uma nova polaridade de forças começou a se desenhar: Estados Unidos de um lado, União Soviética do outro. Entre 1946 e 1947, Kennan escreveu dois textos — o Longo Telegrama e o Artigo X — que mudaram a relação entre os dois países e, consequentemente, a história do mundo no século XX. A ideia principal era que os Estados Unidos deveriam construir uma “contenção a longo prazo e paciente, mas firme e vigilante, das tendências expansionistas russas”. Em termos práticos, as palavras de Kennan deram origem ao Plano Marshall (que ele apoiava por ajudar financeira e diplomaticamente países que poderia cair sob o jugo soviético) e a Doutrina Truman (que o diplomata rejeitava por sua tendência armamentista).

A Vida de George F. Kennan aborda também o crescente descontentamento do diplomata com os rumos da política internacional norte-americana a partir da década de 1950, e sua postura crítica diante das guerras do Vietnã e do Iraque. Gaddis e Kennan mantiveram encontros periódicos desde 1981 para o desenvolvimento deste livro. O autor contou com livre acesso aos diários e documentos do diplomata. A extensa convivência e a riqueza da pesquisa resultaram nesta premiada biografia, que se aprofunda no pensamento de um estrategista, historiador e crítico cultural que marcou os rumos do século XX.

Nenhum comentário:

Postar um comentário