quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Ainda Javier Moro

Sinopse
Uma família de camponeses indianos expulsa de sua terra por enxames de pulgões assassinos. Três entomólogos nova-iorquinos que inventam um pesticida milagroso.
Um gigante da indústria química que encontra um gás mortal para fabricá-lo. Jovens engenheiros do Ocidente que querem acabar com a fome do terceiro mundo. Uma empresa tão inocente quanto uma fábrica de bombons. As festas e as alegrias dos deserdados de uma favela. Eunucos e princesas que enfeitiçam os engenheiros norte-americanos. Um trabalhador louco por poesia que desencadeia o Apocalipse. Médicos heroicos que morrem envenenados fazendo boca a boca nas vítimas. Uma recém-casada que se salva das chamas de uma fogueira graças ao pequeno crucifixo que leva ao pescoço...

Uma história verídica. Centenas de personagens, de situações e de dramas se mesclam neste afresco exuberante de amor, heroísmo, fé e esperança. Uma tragédia no coração de nosso tempo que também serve de advertência a todos os aprendizes de feiticeiro que ameaçam a sobrevivência de nosso planeta.
Parte dos direitos autorais deste livro financia ações humanitárias em Bhopal.
A blogueira Letícia Golz comenta esta outra obra de Javier Moro que fala sobre a Índia.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário