segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Minhas Férias na Espanha Relato III

Ainda em Villamayor, falemos de Patricia. Uma americana de Seattle que parecia ser a "voz" do grupo de italianos, americanos e ingleses, unidos pelo acaso e afinidade. Patrícia parecia a conciliadora, a conselheira, a organizadora... Eu me apresentei como uma brasileira que fala mal mal o espanhol e nada de inglês. Com gestos nos fizemos entender e nos abraçamos, eu e Paty.
Clauuudía... é a pronúncia do meu nome.
Nesta noite do melhor menu do "mundo", fotografei o primeiro pôr do sol, por volta das 21h.
Acordei cedo, bem depois do grupo da Patrícia e ainda usufruí da boa luminosidade para fotos incríveis.
Mais um dia caminhando sozinha...
Sem mochila, então, a proposta é um percurso mais longo. Vamos que vamos!
Aí o guia (que descobri mais tarde super desatualizado) diz que não tem nada nos próximos 12,5km e eu me esqueci da água (da torneira mesmo!).
E surge no meio do nada um trailer com boa música e café aquecido no micro-ondas.
E o vento é gelado e cortante.
Bandana balacrava da corrida da Adidas é perfeita.
Eu de trancinhas com a gominha (Smile cor de rosa) feita por minha neta, Islândia.
 

E vamos a caminho de Viana, Albergue Izar.
 
Desta vez a sugestão não foi boa: sinal do wifi no albergue horrível, menu bem pobre, desjejum também "a desejar".
 
Uma água com batatas, ervilhas refogadas na manteiga (?) com ovos cozidos (minto, um ovo partido em 4).
Nesta hora é fácil compreender o que a fome é capaz de fazer: achar até saboroso essa gororoba!
 
 
A gente se acostuma fácil com o "carinho" de uma boa comida.

 
 
 
03/05/16 VILLAMAYOR a VIANA - 31km
31/07

Nenhum comentário:

Postar um comentário