quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Influência dos livros na minha vida

Será que quando a gente enumera obras lidas e diz que elas nos influenciaram, nos inspiraram será mesmo verdade?
Pergunto se a gente se lembra daqueles detalhes que nos empolgaram na época da leitura.
Se a gente se lembra até mesmo dos nomes dos personagens, da história.
Lembro de ter amado, devorado obras diferentes de diversos autores.
Lembro de ter caminhado ao lado dos personagens pelas ruas, vivendo suas travessuras, tragédias ou vidas.
Lembro da sensação de saudade.
Lembro de finalizar a obra e degustar por dias o "gosto de quero mais".
E confesso que ainda não revi estas obras ditas mais marcantes.
Só para verificar se agora o fascínio seria o mesmo, ou se seria diferente.


Recomendo ainda, repetidamente, algumas obras:
Tuareg; A. V. Figueroa
Terra Virgem; Philippa Gregory
Os Pilares da Terra; Ken Follett
No País das Sombras Longas; Hans Ruesch
Dez Mulheres; Marcela Serrano
Cem Anos de Solidão; Gabriel García Márquez
Grandes Esperanças; Charles Dickens
La Botega; Noah Gordon
Juízo Final; Sidney Sheldon
Os Sete Minutos: Irwing Wallace
Infiel – a história de uma mulher que desafiou o Islã; Ayaan Hirsi Ali
Os Fios da Fortuna; Anita Amirrezvani
O Tempo Entre Costuras; María Dueñas
Ramsés, Christian Jacq
Casa Rossa, Francesca Marciano

Conseguiria eu, hoje, contar sobre o que li? Falar, ao menos, sobre o detalhe que me fez rir ou chorar, ou me chocar?
Sim. quando falo de Henrique VIII e suas mulheres...
Sim, quando falo de Mao Tsé-Tung e o Grande Salto para a Frente...
Sim, quando falo da crença dos tuaregues...
Sim, quando falo dos costumes do esquimós...
Sim, quando descreve a sensação de ficar sem fôlego ao ler Os Sete Minutos...
Sim, quando conto que fechei os olhos de pavor ao ler O Escaravelho do Diabo...
Sim, quando falo da hipocrisia das religiões...
Sim, quando conto de Amir Kling e sua coragem em admitir suas fraquezas e seu fascínio pelo mar.
Sim, quando me lembro da fome e da inocência infantil em As Cinzas de Ângela...
Sim, quando eu falo do "escândalo" que fiz ao "presenciar" o Bem vendendo o Mal em O Advogado de Deus...

É... os livros influenciam, ainda, e muito, a minha vida!
Eles fizeram (fazem e farão) a diferença, foram (são e serão) meu incentivo, meu alicerce em alguns momentos da minha vida. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário