quarta-feira, 27 de maio de 2015

Caminho da Luz (MG)

Post extraído do site no meu post de ontem. ALBINO NEVES (presidente da ABRALUZ) - Esclarecimentos
Estrada
Avaliação do evento
No ato da inscrição do Grupo de Solange/Brasília, ocorrido no Hotel Gran Palace, em Carangola, na véspera do início da caminhada, entregamos aos inscritos fichas de avaliação do Caminho da Luz, a fim de corrigirmos possíveis deficiências, pois entendemos que a participação de cada um é importante para o aperfeiçoamento do projeto, porém as mesmas não foram preenchidas.
Necessidade de preparação física
Durante os dois meses em que o Grupo organizado por Solange/Brasília era formado, prestamos todas as informações solicitadas pela organizadora a fim de orientar a todos.
A ABRALUZ informou à Solange que a época escolhida por ela e o Grupo para empreenderem a caminhada era de forte calor (o que não foi um privilégio da região, uma vez que os noticiários das redes de TV anunciavam todos os dias o intenso calor presente de Norte a Sul do país). No entanto, mesmo assim, ela afirmou o propósito do Grupo em fazer o Caminho naquele período (2 a 8 de março), que, segundo ela, era quando as pessoas de seu Grupo teriam tempo disponível suficiente. Também nos emails que enviávamos ao Grupo sempre ressaltamos a questão do calor, bem como que os caminhantes preparassem-se para o mesmo (usar chapéu de palha, portar reserva de água etc...).
Distância dos trechos, água e alimentação
No site do Caminho da Luz (www.carangola.com.br / caminhodaluz ) informamos o objetivo da ABRALUZ e as distâncias de um local para outro, informação esta que também era ressaltada em todos os comunicados da Solange ao Grupo. Quanto a saber o número de quilômetros de um determinado ponto do trajeto a outro ponto do mesmo (conforme ocorre no Caminho de Santiago nos últimos 150 quilômetros dos quase 800 do percurso), está sendo elaborado um guia de informações sobre o Caminho da Luz, ao qual todo caminhante que se dispuser a percorrê-lo terá acesso no ato da inscrição.
Ainda em Carangola, antes do início da caminhada, bem como nos e-mails que enviamos ao Grupo, foi dito a todos sobre a necessidade de carregar água, mantendo sempre os reservatórios cheios, sendo ressaltado, também, que os caminhantes conseguiriam água em qualquer casa ou fazenda ao longo do Caminho, uma vez que a hospitalidade do povo mineiro faz-se fortemente presente na região, sendo altamente salutar o contato dos caminhantes com os moradores da mesma, uma vez que o carinho e acolhimento dos mineiros simples do interior, com certeza, tornam o Caminho mais belo e fazem-nos acreditar que a solidariedade ainda existe e que este nosso conturbado mundo pode tornar-se um mundo melhor. Vale ressaltar que a ABRALUZ está trabalhando no sentido de canalizar algumas fontes ao longo do Caminho e que as distâncias até as mesmas também serão indicadas no guia em elaboração, do qual, mesmo assim, também constará a dica sobre a necessidade de carregar água, mantendo sempre os reservatórios cheios, o que, aliás, não é uma dica só para quem percorre o Caminho da Luz, mas para qualquer Caminho do mundo.
Devido ao forte calor e a fim de auxiliar o Grupo, a ABRALUZ solicitou a Jorge e Ângela que abastecessem o Grupo com suco e sanduíches a fim de servir e atender, da melhor forma possível, àqueles que vieram percorrer o Caminho. Para isso a ABRALUZ arcou com as despesas complementares de ambos, uma vez que os mesmos deixaram seus afazeres para servir ao Grupo durante os seis dias de caminhada.
Assim como no Caminho de Santiago, Jerusalém e outros Caminhos de peregrinação do mundo, cada caminhante sente alguma dificuldade diferente ao longo do Caminho, e é impossível prever o que será considerado dificuldade por cada um que irá percorrê-lo, mas, à medida que as mesmas nos forem externadas, a ABRALUZ procurará abordá-las no guia ou no site.
Sinalização do caminho
O Caminho está todo sinalizado de um extremo ao outro (o que é comprovado pela colocação de Luciana ao dizer que "o guia é realmente totalmente dispensável"), o que não impede, porém, que, eventualmente, algum caminhante erre em qualquer ponto do mesmo, uma vez que, até no Caminho de Santiago, que tem 1.100 anos de existência, inúmeros peregrinos erram algum trecho. No caso específico de Lilian e seu marido, tal fato, provavelmente, deu-se devido aos mesmos terem ficado descansando por mais de três horas, logo no início do trajeto de tal dia. Se não tivessem parado tanto tempo, possivelmente, teriam chegado três horas a menos e não se teriam perdido devido à escuridão, que, obviamente, diminui-lhes a capacidade de localizar a sinalização.
Com relação ao outro casal "perdido" citado por Lillian, o que aconteceu é que o mesmo optou por ficar descansando em uma fazenda ainda no início do trajeto, tendo, inclusive, informado a outros caminhantes de seu Grupo que ambos iriam retomar a caminhada apenas por volta das 16:00 horas. Com isso, a noite surpreendeu-os praticamente no meio do trajeto. Conforme salientado por Lillian, o casal pediu socorro a um morador de uma fazenda, o qual, apesar de não conhecer e nunca antes ter visto o casal em questão, acolheu-o com todo o carinho e atenção, espelhando bem a solidariedade da população ao longo do Caminho e seu respeito pelos Caminhantes da Luz. São fatos como este que reafirmam a magia do Caminho da Luz, que, há mais de um século vem sendo percorrido por um incontável número de pessoas que, ao trilhá-lo, nele deixaram impregnadas suas histórias, emoções e energias, as quais podem ser sentidas por todo caminhante que se abrir para captá-las, deixando de lado qualquer predeterminação do que espera encontrar ao longo do Caminho e concentrando seu olhar nas flores que existem ao longo do mesmo, ao invés de ater-se apenas às pedras e percalços que são comuns à caminhada da vida.
Guia e Trilhas alternativas
Quanto a alternativas de outras estradas, elas existem às centenas, mas o compromisso da ABRALUZ é proporcionar aos caminhantes a possibilidade de peregrinar por um Caminho centenário que possui vibrações advindas dos lugares históricos e santuários ao longo do mesmo, portanto, qualquer outra rota foge da alçada da associação. No entanto, no guia em elaboração, tais dados serão inseridos a fim de auxiliar os caminhantes em caso necessidade.
Em nossos contatos com a organizadora do Grupo, deixamos claro que para percorrer o Caminho da Luz é necessário um mínimo de preparação física, a exemplo do Caminho de Santiago e de outros Caminhos de peregrinação do mundo.
Apesar de informarmos à Solange que o Caminho estava todo sinalizado, ela nos solicitou que indicássemos uma pessoa para acompanhar o Grupo. Informamos a ela que existia um jovem com disponibilidade de tempo para acompanhá-los durante o período escolhido pelo Grupo, o qual conhece o percurso por tê-lo percorrido por três vezes. A ABRALUZ não se propõe a fazer indicação de guias, pois não possuímos agência de turismo, nem o Caminho tem fins lucrativos. O que procuramos fazer é exercer nosso espírito peregrino ajudando aos caminhantes com informações, a fim de facilitar-lhes o Caminho.
Horário de missa
Em relação à missa celebrada para os caminhantes antes do início da caminhada, achamos importante a sugestão de que seja realizada na noite anterior (a exemplo do que acontece em Roncesvales / Caminho de Santiago), e já levamos tal sugestão aos membros da ABRALUZ, que acataram a mesma.
Redivisão do caminho
Com relação à divisão do Caminho em etapas menores, para facilitar a caminhada dos que têm menos preparo físico para percorrer longo trecho em um único dia e para aqueles que querem desfrutar mais das belezas dos lugares por onde passa o Caminho, a ABRALUZ, vem trabalhando no sentido de conseguir alternativas de pernoite e alimentação do caminhante, pois a hipótese do mesmo pegar conduções durante a peregrinação, conforme foi sugerido por Lillian, quebra o sentido da mesma.
Vale ressaltar que qualquer Caminho de peregrinação do mundo pode ser prazeroso ou estafante, isso depende das condições físicas e, principalmente, psicológicas de quem se dispõe a caminhar.
Carro de apoio
Apesar de, segundo Solange, a maioria do Grupo ter dispensado nossa oferta de transportar as mochilas de um local de pernoite para outro, objetivando auxiliar o Grupo, a ABRALUZ disponibilizou um carro para transporte das mesmas, pois entendemos que o forte calor vivido naqueles dias poderia comprometer a caminhada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário