sábado, 2 de agosto de 2014

Canção Cores do Vento

Cores do Vento

Você pensa que sou uma selvagem ignorante
E você já esteve em tantos lugares, eu acho que deve ser assim
Mas mesmo assim não posso ver, se a selvagem aqui sou eu
Como pode existir tanto que você não sabe?
Você não sabe...

Você pensa que possui qualquer terra que explora
A terra é só uma coisa morta que você pode reivindicar
Mas eu sei que cada pedra e árvore e criatura
Tem uma vida, tem um espírito, tem um nome

Você pensa que as únicas pessoas que são gente
São as pessoas que parecem e pensam como você
Mas se seguir os passos de um estranho
Vai aprender coisas que nunca soube que nunca soube

Você alguma vez escutou um lobo uivar para a lua azul?
Ou perguntou ao sorridente lince porque ele sorria?
Pode cantar com todas as vozes da montanha?
Pode pintar com todas as cores do vento?
Pode pintar com todas as cores do vento?

Venha correr pelas trilhas de pinheiros da floresta
Venha provar as bagas doces da terra
Venha rolar em todas as riquezas à sua volta
E pelo menos uma vez não pensar em quanto elas valem

A chuva e o rio são meus irmãos
A garça e a lontra são minhas amigas
E nós somos todos conectados uns aos outros
Em um círculo, em um aro que nunca acaba

Quão alto o plátano cresce
Se o cortar então nunca saberá
E você nunca vai ouvir o lobo uivar para a lua azul
Se temos a pele branca ou cor de cobre
Nós precisamos cantar com todas as vozes da montanha
Precisamos pintar com todas as cores do vento

Você pode possuir a terra e mesmo assim
Tudo que vai possuir é terra até que
Você possa pintar com todas as cores do vento...

Ganhadora Oscar 1996 - Pocahontas
Colors of the Wind 
Música: Alan Menken
Letras:Stephen Schwartz

Nenhum comentário:

Postar um comentário