quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Os pais de uma criança prodígio

Se dá trabalho ser pai/mãe de uma simples criança, imagine ser pai/mãe de uma criança prodígio.
Mesmo diante das dificuldades, alguns pais gostariam de ter uma criança prodígio pelo status desta condição.
Você, leitor que acompanha este meu blog, deve estar se perguntando onde quero chegar...
É que estou lendo Minha irmã, meu amor e estou, assim, como dizer, embasbacada com a narrativa de Joyce Carol Oates. Mesmo sabendo que trata-se de uma ficção é, na verdade, baseada em fatos reais. A obsessão dos pais pela projeção social proporcionada pelo sucesso da filha nas pistas de patinação no gelo chegam ao absurdo de cogitar a possibilidade de uma  eletrólise para suspender a linha raiz dos cabelos para que ela fique mais fotogênica nas fotos de publicidade:
"- Eles estão sugerindo eletrólise, para suspendê-la só um pouquinho. O efeito seria mágico, eu acho: a testa da Bliss ficaria mais alta e os olhos, maiores. A eletrólise é um procedimento simples, feito em consultório médico com um sedativo muito leve, e praticamente não exige tempo de recuperação." (pág. 326/327, 2008)
* Bliss tem apenas 6 anos de idade

Nenhum comentário:

Postar um comentário