quarta-feira, 11 de julho de 2012

Tradução de obras literárias

Tenho uma curiosidade: saber se cabe à tradução o mérito de algumas obras estrangeiras.
Será mais uma de minhas metas: saber como o tradutor escolhe suas obras. Se por exigência da editora, se por gosto ou afinidade com o autor. Ou ainda se a editora escolhe o tradutor pela sensibilidade com que ele traduz o estilo originário do autor.

Peguei no site Companhia das Letras a relação das obras traduzidas por Donaldson M. Garschagen e, em breve, terei a resposta...

Donaldson M. Garschagen é capixaba de Cachoeiro de Itapemirim. Começou a traduzir em 1960 para a linha de livros condensados da Seleções Reader's Digest. Depois de trabalhar quatro anos no estaleiro Ishikawajima, passou outros quatro como tradutor freelancer. Sem deixar de traduzir para várias editoras, em 1968 ingressou na Encyclopaedia Britannica do Brasil (hoje Barsa Planeta Internacional), empresa em que trabalhou até 2006, exercendo o cargo de diretor editorial da Enciclopédia Barsa.

ATLÂNTICO (2012) - Tradutor
COMO MUDAR O MUNDO (2011) - Tradutor
COMO SHAKESPEARE SE TORNOU SHAKESPEARE (2011) - Tradutor
CONTATO (EDIÇÃO DE BOLSO) (2008) - Tradutor
OS CRISTÃOS E A QUEDA DE ROMA (2012) - Tradutor
CRÔNICA DE UM VENDEDOR DE SANGUE (2011) - Tradutor
O DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO (2011) - Tradutor
OS DESBRAVADORES (2009) - Tradutor
A ERA DO INCONCEBÍVEL (2010) - Tradutor
OS FILHOS DA MEIA-NOITE (2006) - Tradutor
O FUTURO DA AMÉRICA (2009) - Tradutor
O HOMEM QUE AMAVA A CHINA (2009) - Tradutor
HONRA TEU PAI (2011) - Tradutor
O INSTANTE CONTÍNUO (2008) - Tradutor
IRMÃOS (2010) - Tradutor
MAHATMA GANDHI (2012) - Tradutor
PRETO NO BRANCO (2012) - Tradutor
O SINAL (2012) - Tradutor
A TERRORISTA DESCONHECIDA (2009) - Tradutor
TÓQUIO PROIBIDA (2011) - Tradutor
VIDA DE ESCRITOR (2009) - Tradutor

Nenhum comentário:

Postar um comentário